PRODUÇÃO DISCENTE 2013

Autor: Valdinei Trombini
Título: A NARRATIVA DOS PEREGRINOS A SANTIAGO DE COMPOSTELA: UMA ANÁLISE COMUNICACIONAL
Orientadora: Profª Dra: Tarcyanie Cajueiro


Resumo

O objetivo geral desta dissertação é a análise das narrativas feitas pelos Peregrinos sobre o Caminho de Santiago de Compostela. O objetivo central é descrever como esses peregrinos constroem as suas narrativas e identidades no mundo atual, tendo em vista a relação com a questão comunicacional. Parte-se do pressuposto de que o Caminho, para a maioria dos peregrinos, apoia-se na busca do autoconhecimento. A fundamentação teórica se dá a partir da discussão elencada por Stuart Hall sobre o conceito de identidade e no conceito de reflexibilidade trabalhado por Anthony Giddens e também sobre as narrativas de Walter Benjamin. Sandra de Sá Carneiro é outra autora sobre a qual este trabalho se fundamenta. Sua interpretação da peregrinação é de um fenômeno no qual, ao mesmo tempo em que se sustenta numa tradição de longa duração, assume um caráter atual – “novo”. E através dos vários tipos de apropriações e (re) significações que os agentes e agências envolvidas no fenômeno da peregrinação a Santiago de Compostela dão às suas ações, performances e usos, assim como atribuições (e disputas) de sentidos em torno das narrativas referentes ao Caminho e à peregrinação. Com a finalidade de compreender as diversas dimensões que envolvem esta peregrinação na sociedade contemporânea, realizamos a pesquisa utilizando o método qualitativo, buscando destacar os sentidos das narrativas dos peregrinos. Também foi realizada uma pesquisa quantitativa visando traçar um perfil dos peregrinos através de dados estatísticos obtidos nas entrevistas antes do recebimento da Compostela. Além disso, lançamos mão de pesquisas em sites de associações, comunidades de peregrinos e relatos de peregrinos. Utilizamos análise das narrativas como metodologia para a compreensão das narrativas feitas pelos peregrinos e disponibilizadas por eles nos sites das associações. Concluímos que a necessidade de narrar o que se vivenciou no Caminho para muitos peregrinos, relaciona-se com a busca de um sentido para o seu autoconhecimento, que não apenas é experimentado e vivido através da peregrinação, mas também relatado em narrativas que conferem um ordenamento reflexivo ao indivíduo.

Palavras-chave: Comunicação; Narrativas; Peregrinação; Identidade; Autoconhecimento; Caminho de Santiago.

 

A NARRATIVA DOS PEREGRINOS A SANTIAGO DE COMPOSTELA: UMA ANÁLISE COMUNICACIONAL